quinta-feira, 11 de junho de 2009

Fique Antenado! Pré-Sal...

Bacias do Espírito Santo, Campos e Santos e produtos extraídos.

O Pré-Sal é uma reserva gigantesca, abaixo do leito do mar, com oito grandes campos: Tupi, Júpiter, Parati, Carioca, Iara, Guará, Bem-Te-Vi e Caramba. A área vai do Espírito Santo até Santa Catarina, com 800 km de extensão e 200 km de largura, e engloba três bacias sedimentares (Espírito Santo, Campos e Santos). Segundo Márcio Rocha Mello, geólogo e ex-funcionário da Petrobras, a área do Pré-Sal poderia ser bem maior do que os 800 km, se estendendo de Santa Catarina até o Ceará.

Tupi tem reserva similar à de Júpiter: 5 a 8 bilhões. Iara tem de 3 a 4 bilhões. Somando os três, em estimativa pessimista, são 13 bilhões — 1 bi a menos que a reserva atual, de 14 bilhões. O mercado aposta que Carioca seria cinco vezes maior que Tupi: 33 bilhões. A Petrobras não confirma.

O petróleo encontrado nesta área está a profundidades que superam os 7 mil metros, abaixo de uma extensa camada de sal que, segundo geólogos, conservam a qualidade do petróleo, devido à pouca ação das bactérias, que dificilmente sobrevivem à temperatura local de mais de 100 ºC. A espessura da camada de sal na porção centro-sul da Bacia de Santos é de aproximadamente 2.000 metros, enquanto na porção norte da Bacia de Campos está em torno de 200 metros.

Como se formou?
Antigamente a África e a América do Sul eram unidas (Gondwana), quando a terra, que é feita de Placas Tectônicas, se rompeu, para formar o que é hoje o nosso Oceano Atlântico, formaram-se vários mares rasos que receberam algas e microorganismos chamados de fitoplâncton e zooplâncton. Estes, quando morreram, foram enterrados sob sedimentos e sob o sal formado pela evaporação da água nestes mares rasos. Soterrada abaixo desses gigantescos blocos de rocha e de sal, a matéria orgânica sofreu enorme pressão, transformando-se, por fim, no petróleo da camada Pré-Sal.

A camada de sal é impermeável, mas tem falhas geológicas. Através dessas fissuras, cujas porosidades são preenchidas por água, parte do petróleo do Pré-Sal acaba subindo e fixando-se em bolsões da camada de rocha. Em locais como esses é que se encontram algumas das jazidas de petróleo oceânicas já exploradas, como as da Bacia de Campos (RJ).
Áreas de petróleo nas camadas Pós-Sal (jazidas oceânicas) e Pré-Sal.

A Petrobras iniciou a produção do primeiro óleo da camada Pré-Sal no dia 2 de setembro de 2008, no Campo de Jubarte, na Bacia de Campos, no litoral sul do Espírito Santo a partir do poço 1-ESS-103ª, interligado à FPSO Juscelino Kubitschek (P-34), e exigiu investimentos de cerca de R$ 50 milhões. Veja mais detalhes.

Um comentário:

Bad Wolf disse...

Poucos sabem definir o que é pré-sal. Iniciativa genal de vocês, exporem ao público de uma maneira que eles entendam.